Love Story - Revelações

Second Part - Megan
- Bem é agora - disse reparando que Mark estava a minha espera num banco a entrada do parque a ler um livro.
Elas olharam para mim e sorriram levemente mas com olhares divertidos.
- Boa sorte - disseram sorrindo.
Respirei fundo e foi ter com ele sentindo que ambas as minhas mãos estavam a suar, olhei para as árvores vendo que os ramos chegavam a ser tão grandes que chegavam ao passeio formando uma espécie de túnel. Segurei melhor a minha mala sentindo que estava a escorregar-me das mãos até que cheguei a beira dele. Ele estava a ler o livro bastante distraído mas via que parecia preocupado com algo, podia ver pela sua expressão. Ele era loiro de olhos azuis e pálido. Ele tinha um casaco de universidade azul escuro e calças pretas com sapatilhas pretas.
-Olá! - Cumprimentei ao chegar a beira dele, ele levantou a cabeça e olhou-me sorrido.
- Ei! - Disse levantando-se abraçando-me fortemente.
Sorri ao sentir o abraço o que me provocou um salto no coração e ficar corada ao sentir o seu perfume que me lembrou o nosso primeiro beijo que fora durante um baile de Verão, ele convidara-me para dançar um Slow e no meio dele ele beijara-me a frente de toda gente e pediu-me em namoro.
- Como foi a viagem? - Perguntou-me ao afastar-se.
Olhei para os seus olhos e vi que ele não mudara, tinha o mesmo olhar meigo, o mesmo sorriso simpático e a mesma personalidade carinhosa. Ele pegou na minha mala e com o livro dobrado no bolso de trás das calças começamos a dar um volta. Seguimos pelo caminho passando por famílias e namorados.
- Correu bem, a Jack dormiu quase todo o caminho ou então estava sempre a resmungar com a Ally, a Ally estava sempre na brinca e a Kate estava a tentar a dormir mas era quase impossível - disse encolhendo os ombros.
- Já estou a ver a cena toda - disse rindo levemente. - A Ally ainda é contra os rapazes?
- Sim, mas não percebo porque ainda - disse sorrindo para ele amando a maneira como os seus olhos brilhavam.
- E a Kate ainda é perseguida por Michael’s? - Perguntou sorrindo. 
- Sabes como é que é, até ela apaixonar-se por alguém cujo o nome não comece com M vai continuar a ser perseguida - disse-lhe rindo levemente. 
Ele olhou para o céu pensativo rindo também, eu olhei para um casal e sorri. 
- Sabes eu estava preocupada - disse sorrindo - estando longe de mim pensei que talvez pudesses te apaixonar por alguém, mas as raparigas tinham razão tu nunca me farias isso. 
Ele parou e olhou para mim preocupado. 
- Preciso de te apresentar uma pessoa - disse enquanto chamava alguém com a mão. 
Olhei para onde ele estava virado e vi um rapaz alto com cabelo preto que me deixou de boca aberta ele era bom. Mesmo bom. O rapaz chegou a nossa beira e sorriu levemente cumprimentando-me. 
- Este é o Darius!
- Olá, sou Megan - disse sorrindo levemente. 
Ele murmurou um olá e olhou para o Mark. 
- Quando vim para Nova York eu conheci-o e apaixonei-me por ele!
Eu olhei para Mark rindo achando que ele estava na brincadeira, mas então vi que ele estava de mão dada com o Darius. 
- O quê? - Perguntei admirada. 
- Eu e o Darius namoramos - explicou Mark olhando para mim repleto de culpa. 
Engoli em seco e sentindo-me tonta sentei-me num banco. 
- Eu sou Gay - disse Mark olhando para mim. 
Tentei-me acalmar mas estava a entrar em pânico. 
- E só agora é que me contas? - Perguntei irritada olhando para os dois. 
Ele abaixou-se e olhou para mim preocupado. 
- Eu não te ia contar por telefone - disse olhando para mim preocupado. 
- Então tu esperaste que eu viesse aqui para me contar que eras gay e que tinhas namorado, tu nem te preocupaste em esperar que acabássemos, pois não?
- Eu… 
- Cala-te, não vale a pena te desculpares - disse pegando a minha mala dele e olhei para os dois irritada. - Que vivem felizes para sempre. 
Comecei a ir embora sentindo que estava a chorar e que todos me olhavam de canto. Mark pegou no meu pulso e puxou-me, virei-me e dei-lhe um estalo o que o fez recuar admirado. 
- Nunca mais me fales nem me dirijas a palavra, seu…
Mark olhou para mim e eu virei-me e foi embora a correr sem esperar mais algum contra tempo. Dei a volta ao parque e sentei-me num banco a chorar sentindo que varias pessoas olhavam para mim, mas eu não me importei. Eu tinha sido traída pelo meu namorado que por acaso era Gay. Isto é o que se chamam as boas vindas.

Sem comentários:

Com tecnologia do Blogger.