Reviver, Anya - Viagem Inesquecível

8º Parte
Respirei fundo e virei-me de novo na cama enquanto pensava no que se passara antes de ontem, ver Andrew só me fez pensar no meu pequeno passado conto de fadas que tive e que perdi num piscar de olhos. Tinha tido a oportunidade de lhe dizer tudo o que tinha para lhe dizer quando ele se fora embora. Olhei para o telemóvel, tinha uma nova mensagem dele... Desde ontem que falávamos através de mensagens mas mesmo assim preferia mil vezes falar com ele cara a cara. Era quase como se nunca tivéssemos estado sem falar. Foi estranho e ao mesmo tempo louco... Abri a mensagem.
"Bom dia, espero que tenhas dormido bem!"
Respirei fundo e olhei para a cama de Clary, ela estava com o Ipad no colo e parecia que estava a ler algo com interesse. Ela olhou para mim e sorriu.
- Os Lords vão lançar um novo album, temos que comprar um! - Exclamou sorrindo de orelha  a orelha.
- Não venhas com Os Lords, explica-me imediatamente explica-me o que se passou contigo e com o Luck ontem desde o autocarro que vocês andam muito estranhos, depois houve aquele momento no Hall, importas-te de explicar!? - Perguntei olhando-a irritada sentando-me.
Clary corou e respirou fundo observando-me.
- Eu ontem pedi um tempo ao Niall - disse abraçando o Ipad olhando para a janela pensativa.
- Oh meu deus, Clary, porque é que não nós contaste? - Perguntei encostando-me as almofadas.
- Eu sinceramente, não queria estar a chatear e também porque o Luck me beijou assim que isso aconteceu!
- O que???? - Gritei saltando da cama, ficando em cima de cama a olhar para ela e a sorrir de orelha a orelha. - Eu sabia que vocês eram perfeitos um para o outro, assim que vocês começaram a falar um com o outro a maneira como estavam sempre juntos, era uma questão de tempo para isso acontecer!
- Anya, eu tenho namorado, esqueceste isso e além disso como poderia alguma vez namorar com ele? Nós apesar de viver no mesmo sitio, ele trabalha num part time numa empresa de informática e eu ainda amo o Niall.
- Estás a ter a mesma reacção da Nora, estás a negar! - Exclamei irritada saltando para o chão. - Está mais que visto que tu estas farta do dele para nem pensares duas vezes para vir para aqui. Para de negar, tu gostas dele, não gostas?
Ela engoliu em seco passando a mão pelo cabelo irritada, ficando despenteada ela abriu a boca para responder quando bateram a porta e ela sorriu de orelha a orelha.
- Na verdade, eu tenho uma surpresa para ti - disse sorrindo, levantando-se abrindo a porta, um senhor entrou com um ramo de rosas que Clary recebeu e agradeceu antes de o senhor sair, ela virou-se para mim e sorriu. - Isto é para ti.
Eu olhei para o ramo confusa eram vermelhas e perfeitas com uma nota entre elas, eu peguei nele e abriu enquanto a Clary colocava o ramo na mesa. Eu abri e li a nota ficando espantada:

Espero que estejas a pensar em mim, porque eu não paro de pensar em ti, Anya, espero ver-te em breve. Teu, Andrew.
Olhei para Clary vendo que ela estava feliz a olhar para mim. Mas então ficou seria a olhar para mim preocupada.
- O que foi Anya? - Perguntou. - Não gostaste?
- Isto é uma brincadeira? - Perguntei sentando-me no sofá olhando para a nota respirando fundo.
Passei a mão pelo meu cabelo loiro e respirei fundo, sentia-me um pouco confusa, o que era isto? O que significava esta mensagem, estaria ele a declarar-se!? Estaria ele a pensar que só porque nos encontramos ele tinha o direito de me fazer lembrar tudo o que se passara connosco. Seria assim tão maluco?
Respirei fundo e olhei para Clary, ela sentou-se a minha beira.
- Ele contactou-me e pediu quais era o hotel, eu até pensei que ele ia vir para cá, mas afinal é só as rosas. - Murmurou enquanto lia a nota. - Tu ainda o amas?
Eu abracei-me a ela e tentei não chorar enquanto ela passava a mão pelo meu cabelo.

Entramos no Alcazar e não pude deixar de reparar que estava frio lá dentro, respirei fundo e repararei que Taylor estava perto de Nora, quase a se tocarem e podia reparar que Taylor estava a olhar para ela parecendo confuso e interessado ao mesmo tempo. Nora no entanto parecia estar sobressaltada e ao mesmo tempo bastante sorridente. Clary estava a conversar sobre algo com o Luck. E a Aurya estava a beira de Nathan que parecia demasiado ansioso a olhar para todo o lado, como se estivesse a espera de ser reconhecido por alguém. Marise estava perto de mim, ela não parava de olhar para Ridley que parecia estar a seguir o Taylor e a Nora.
Eu olhei para Marise, ela parecia indecisa.
- Vai falar com ela - disse olhando para ela.
Ela mordeu o lábio pensativa, e de seguida olhou para mim.
- Eu não devia...
- Bem, eu nem, ela não é lésbica mas...
- Na verdade, ela é de ambas as equipas - disse encolhendo os ombros ainda a olhar para ela.
- Então, o que estás a espera? - Perguntei sorrindo. - Vai ter com ela!
Ela olhou para mim e sorriu parecendo nervosa mas acenou e foi ter com ela. Eu sorri e apertei a nota que estava no meu bolso. Não conseguia parar de pensar sobre Andrew e o que ele queria dizer com aquilo. Tinham me aparecido muitas emoções que eu não estava a espero. Respirei fundo e reparei que o nosso guia estava a chamar-nos, eu comecei a segui-los quando de repente foi agarrada para fora do Alcazar, eu tentei gritar mas uma mão me tapou a boca. Eu olhei para o lado e vi que era Andrew.
- O que raio? - Gritei mas a mão dele abafou a minha voz.
Nós passamos pelas portas e ele encostou-me a parede. Ele tirou a mão e sem que eu tivesse tempo de dizer algo ou mesmo afastar-me, ele prendeu-me as mãos e beijou-me...
Fiquei imóvel nos seus braços enquanto ele acariciava os meus lábios com os seus, varias emoções percorreram-me enquanto sentia arrepios a percorrerem-me. Eu não conseguia resistir, no entanto, envolvi-me no seu beijo, mas cedo demais ele afastou-se pressionando a sua testa contra a minha, reparei como ele ficou de olhos fechados como se estivesse a lutar contra algo. Eu respirei fundo enquanto sentia o meu coração a bater descontrolado.
- Andrew - murmurei.
Ele afastou-se de mim e eu quase cai se não estivesse encostada a parede. Ele passou a mão elo cabelo e respirou fundo.
- Desculpa, eu não conseguia controlar-me - murmurou, passando a mão pelo cabelo. - Eu passei anos a imaginar como seria estar contigo.
-Está tudo bem, mas assustaste-me um pouco - disse dando meio sorriso. - Ser atacada no meio do nada... e assim... espera... o que fazes aqui?
- Eu vim atrás de ti, o meu pai está aqui para resolver uns assuntos por isso aproveitei e vim com ele claro - disse sorrindo olhando-me um pouco preocupado.
- Estás maluco? - Perguntei passando a mão pelo meu cabelo.
- Um pouco - disse e colocou ambas as mãos na minha face afastando o meu cabelo da cara olhando-me nos olhos. - Foi muito tempo sem ti linda. Eu adoro-te.
- Eu também te adoro, mas não era preciso. Eu estou numa tour, rapaz - disse sorrindo.
- Mas não podes ir dar uma volta comigo? - Perguntou-me. - Por favor, não quero despedir-me de ti cedo de mais.
Observei-o e vi que ele me olhava a implorar mordi o lábio pegando no telemóvel mandando uma sms a Nora para ela me avisar que ia dar uma volta com Andrew, ela compreenderia e tinha tempo para ir afinal tínhamos 3 horas livres antes de voltar para o hotel. Ela respondeu num instante com uma simples palavra "diverte-te".  Eu olhei para ele vendo que estava a olhar-me preocupado.
- Podemos - disse sorrindo.
Ele sorriu e agarrou a minha mão puxando-me para uma rua, dando-me a mão.
- Como estão as coisas com os teus pais? - Perguntou-me agarrando a minha mão.
- Estão bem, e os teus? - Perguntou-me sorrindo passando a mão pelos meus ombros, abraçando-me.
- Estão bem.
Ele passou a mão pelo meu rosto sorrindo.
- Há muito tempo que estamos sem nós ver, eu queria te perguntar uma coisa - disse olhando-me preocupado.
- Que se passa?
- Desde que acabamos namoras te com alguém? - Perguntou-me.
Eu fiquei confusa a olhar para ele, ele parecia preocupado e com medo.
- Não, meio que é difícil.
- Vamos tomar um café? - Perguntou-me e sorriu. - E vamos falar mais sobre o assunto?
Paramos num café e fomos para a esplanada e pedimos dois cafés.
- O que é que queres dizer com meio que é difícil? - Perguntou-me olhando-me curioso.
- O que eu quero dizer é que não senti nada por ninguém... foi complicado - disse desviando olhar.
- Porque é que foi complicado? - Perguntou sorrindo no momento que o café chega.
Eu coloquei açúcar no meu e Andrew apenas bebeu o seu, estranhei um pouco mas deixei andar.
- Não me interessei por ninguém, acontece - disse e encolhi os ombros. - Então que vais fazer no futuro?
- Não sei, não estou preocupado. - Disse encolhendo os ombros.
- Como assim? - Perguntei estranhando, Andrew era a pessoa mais obcecada com o futuro que eu conhecia, ele planeava sempre tudo.
- Porque haveria de me preocupar? - Perguntou-me encolhendo os ombros. - Tenho o futuro pela frente, ninguém sabe o dia de amanhã.
Olhei para ele e vi que ele parecia demasiado pálido, mas descontraído.
- Okay. O que há de novo na tua vida? Além do futebol - Perguntei sorrindo.
- Nada de mais - disse de forma brusca.
- Andrew está tudo bem? - Perguntei confusa pela maneira como ele desviava o olhar de mim.
Ele suspirou e pegou uma das minhas mãos e beijou-me as costas dela olhando-me com saudade.
- Está, agora está, vamos dar uma volta - disse sorrindo levemente.
Largou a minha mão e colocou varias moedas na mesa e levantou-se pegando na minha mão levando-me com ele. Ele abraçou-me e beijou-me na bochecha.
- Eu tive tantas saudades tuas, Anya, durante estes anos todos, sempre pensei em ti em todas as minhas decisões quais seria a tua opinião, o que pensarias... eu não deixei de pensar em ti...
Eu olhei para o lado admirada, enquanto andávamos pela rua e tentei arranjar uma resposta, é verdade eu também não parei de pensar nele durante este tempo todo mas ele estava num pais diferente e estarmos distantes e ficamos sem falar este tempo todo, o que poderia acontecer?
- Apenas diz alguma coisa - murmurou apertando o meu ombro.
Eu suspirei e olhei para ele engolindo em seco.
- Andrew, eu também nunca parei de pensar em ti, sempre foste importante para mim - disse olhando para ele vendo que ele me observava. - E abraçar-te e beijar-te foi importante para mim fez-me sentir...
Antes de eu acabar de falar Nathan apareceu a correr abraçando-me encostando-me a parede.
- Mas que raio, Nathan! - Exclamei mas ele tapou a minha boca.
Nesse momento varias raparigas a gritar passaram por nós a chamar por Nathan. Nathan agarrou-me mais escondendo o rosto no meu pescoço, respirando fundo, Andrew apenas ficou a apertar o atacadores enquanto as raparigas corriam. Elas passaram e viraram numa rua e outras para outra.
- Já acabou? - Perguntou-me olhando sorrindo.
- Acho que sim.
Ele afastou-se e respirou fundo olhando para nós.
- O que raio se passou? - Perguntei olhando para ele admirada.
- Ham, - murmurou sorrindo e parecendo envergonhado. - Eu talvez devia de ter te dito, conheces a banda Lords.
- Sim, claro, são um grupo de 4 rapazes, Nora adora-os... Oh meu deus, tu és um deles, és o Nathan.
- Ah, sim sou. Nós lançamos hoje um álbum e eu não era para estar disponível, e eu estava com a Aurya quando elas saíram de uma loja de musica e começaram a me perseguir. E Aurya agora está na loja de tatuagens a beira da loja e não posso ir lá assim, ajudam me a encontrar alguma coisa.
Olhei para as lojas a nossa volta e reparo numa loja de penhoras.
- Andem - disse e ele agarrou-se a mim indo para a loja com Andrew atrás.
Nós entramos na loja e eu escolhi uma gabardina uma barba e um gorro, ele pagou e colocou rapidamente. Eu olhei para ele e vi que estava irreconhecível.
- Ok, estás prontos, vais ter com a Aurya?
- Sim, achas que ela vai me perdoar - disse olhando para mim preocupado.
- Vai ser difícil, ela nunca teve namorado e nunca acreditou quando um rapaz gostava dela, ela afasta um pouco as pessoas. Apenas explica-lhe ok?
- Ok. Obrigada - disse dando-me um beijo na testa e indo embora num instante.
Olhei para Andrew que estava a sorrir para mim demasiado pálido.
- Estás bem? - Perguntei preocupada.
- Estou - disse sorrindo para mim - é só que vou ter que ser operado ao joelho, eu posso perder a minha carreira por causa disso.
- O quê?! - Exclamei admirada. - O que aconteceu?
- Estava a jogar num dos treinos e rompi o músculo, e a minha rotula deslocou-se e agora não posso me apoiar nele sem me doer imensamente - disse olhando-me encolhendo os ombros. - E agora tenho que ser operado, mas se a operação pode correr muito mal e eu posso perder a minha carreira.
Eu fiquei de boca aberta a olhar para ele e sem pensar abracei-o apertado. Ele colocou o rosto no meu pescoço.
- Porque não me disseste mais cedo?
- Eu era para dizer mas... eu não podia, não queria que me olhasses com pena como os meus pais e amigos fazem.
- Eu nunca o faria Andrew - disse dando meio sorriso. - Mas vais fazer a operação ou não?
- Eu... vamos dar uma volta por favor - disse sorrindo.
Eu olhei para ele e acenei levemente. Ele deu-me a mão e apertou-a enquanto andávamos, desta vez reparei que ele mancava ligeiramente e as vezes conseguia ver no seu rosto uma réstia de dor no seu rosto. Eu percebia agora porque é que ele estava aqui, estava com medo e eu sabia que tinha que o ajudar, mas o que podia fazer? Ele tinha que ser operado, ele estava cheio de dor, mas havia o problema ele podia perder tudo, agora percebia porque é que ele estava tão mudado.

Continua...
1ª Parte -Aparências Iludem, Nora - Ver aqui
2ª Parte - A Fotografia Perfeita, Aurya - Ver aqui
3ª Parte - Relacionamentos Improvisados, Clary - Ver aqui
4ª Parte -Primeiro Amor - Anya - Ver aqui
5ª Parte -Os Desenhos, Nora - Ver aqui
6ª Parte -Desentendidos, Clary - Ver aqui
7ª Parte -Bombshell, Aurya - Ver aqui
9ª Parte -Marcas Do Passado, Nora - Depois de Águas Profundas de Vizinho Perfeito... 
Love Peace and Write
Kisses Lovewriters 
  





Comentários

Mensagens populares