terça-feira, 2 de setembro de 2014

Interrogada, Deep Under Water 1#




3 Anos Depois em Haway

Ariana

Observei o mar estava tão calmo, era hoje que ia começar a universidade, onde iria viver num dormitório com outra rapariga, estava nervosa mas pronta. Fiz uma trança rapida enquanto caminhava ao longo da praia. Não havia um dia em que eu não pensasse no rapaz que salvara, será que ele lembrava-se? Tinha tanto medo que sim...

A nossa espécie era tão escassa(irei explicar mais tarde), havia tão poucos de nós e eu era a mais protegida em mim havia todos os poderes que existia entre as sereias (mais uma vez vocês irão perceber mais tarde), como podia prejudica-los, expondo-me?

Respirei fundo sentindo a areia entre os dedos dos pés, observei o céu como ele mudava consoante o nascer do sol enquanto apertava o fim da trança.

Aconcheguei o casaco de malha azul claro, onde tinha a T-Shirt preta e uns calções. Daqui a meia hora iria pegar no carro e ir para universidade e começar uma nova vida. Sorri passando a mão no colar e então vindo do nada uma bola de praia bateu na minha cabeça e eu cai na areia a olhar para o céu.

-Oh boa! Estás bem? Desculpa eu nem te vi. - Disse a voz de um rapaz e de repente o céu foi tapado pelo rosto de um rapaz.

-Seu grande parvalhão! Eu estava mesmo a vista! Ou és cego!?

Ele riu-se e ajudou a me levantar, assim que fiquei de pé pode vê-lo. Tinha o cabelo castanho cortado, musculado mas nada exagerado, tinha uma jersy e uns calções de basquetebol, ao ver esse look apercebi-me que era o novo vizinho vindo de Nova-York.

- Tu és o novo vizinho? - Perguntei sacudindo a areia da roupa.

- Sim, estás bem? - Perguntou olhando-me demasiado intensamente.

-Sim, tem um bom dia.

Virei-me e peguei no telemóvel para tirar uma foto ao por do sol adorando a névoa sobre o mar e as nuvens.

- Viveste sempre aqui? - Perguntou atrás de mim.

Mas que raio ele queria? Ignorei respirando fundo tirando fotos ao horizonte.

-Hey! - Exclamou agarrando o meu ombro.

O seu toque fez-me estremecer e a minha pele arrepiar, virei-me para ele retirando a sua mão do meu cotovelo.

- O que foi? Mas que raio queres? -Perguntei irritada. -Sabes pode ser considerado assédio.Tu não sabes como conhecer a vizinhança?

Ele riu-se e observou-me por um segundo e respirou fundo.

-Eu não queria ser mal educado apenas fiz uma pergunta.

Respirei fundo e continuei a andar e ele acompanhou-me.

- Estou aqui há três anos, vim de Phoenix.

- Oh, bem me parecia que não eras daqui - disse parecendo demasiado serio.

Reparei que ele parecia demaisiado serio, como se esperasse algo mas que não recebera.

- O que me denunciou? - Perguntei revirando os olhos.

Ele riu-se e então olhou para mim sorrindo.

- Não viveste em mais lado nenhum?

-Não- disse lembrando-me da história que tínhamos ensaiado.

Okay,porque é que ele continuava a andar atrás de mim. Senti a água a passar pelos pés e suspirei sorrindo.

- O que se passa? - Perguntou-me. -Tens intragram?

Olhei para ele confusa, enquanto ele me dava o telemóvel dele com o app aberto tinha o user @cabe34, eu digitei o meu @ari e pós-o a seguir.

Ele sorriu para mim, vendo que estava a ser simpática.

- Então o que se passa?

- A serio? Primeiro tu bates com uma bola, basicamente me persegues, pedes me o instragram e perguntas-me coisas pessoais como se me conhecesses. És um assassino ou perseguidor?

Ele riu-se as gargalhadas e então olhou para as casas um pouco cauteloso.

- Ariana!

Olhei para trás e vi a minha mãe sobre uma duna a olhar para nós com precaução.

- Está na altura de ir! As tuas aulas começam as 10h, são quase 7!

Bufei e olhei para o rapaz que parecia confuso.

- Tenho que ir, aproveita as ondas aqui, aprende a surfar, para de perseguir raparigas okay?- Perguntei indo para cima.

-Vemo-nos mais tarde - disse atrás de mim.

-Duvido - murmurei.

-Veremos.

Olhei para trás confusa, vendo que ele sorria e então virou-se brincando com a bola... eu nem sabia o nome dele, encolhi os ombros e foi ter com a minha mãe que estava de olhos no rapaz, enquanto lia um pouco de Atena de Drunkada na wattpad, adorava está fic principalmente o ornitorrinco azul! Ri-me com a cena do concerto mas guardei o telemóvel ao ver que a minha mãe me observava.

-Quem é ele?

- É o meu marido, queria saber se estou gravida ou não depois da noite louca que tivemos - disse revirando os olhos, enquanto ela cruzava os braços. - É o nosso vizinho mãe, sabes bem que eu não tenho amigos. Ele apenas encontrou-me aqui e pos-se na conversa comigo, nada demais.

Ela observou-me por um segundo.

- O quê? - Perguntei estranhando a maneira como me olhava.

- Eu pensei... - disse e então torceu os lábios bufando. - Vamos lá universitária, tens malas para levar e ainda conduzir por uma hora para lá.

Revirei os olhos e então fomos para a nossa casa de praia, que era uma espécie de cabana, com um alpendre onde era a nossa sala de jantar, Ana estava sentada na mesa, ela estava muito maior, com o cabelo comprido loiro com os olhos azuis mais astuto, ela usava um vestido azul e parecia que estava cheia de sono.

-Estás pronta para ir Ariana? - Perguntou-me parecendo ansiosa.

O meu coração apertou só de imaginar no que ela ira passar com a nossa mãe enquanto estou a estudar. Não é como se a minha mãe fosse autoritária apenas... era demasiado intensa o que significava que se Ana quisesse ir nadar ela não iria deixar depois do que de se passou... Eu não queria que ela ficasse a pensar que eu estivesse a abandonar por isso é que ia voltar todos os fins de semana, pensei tentando me tranquilizar.

- Sim goldfish - disse sorrindo dando-lhe um pequeno abraço.

Ela apertou-me forte antes de me largar eu dei-lhe um beijo na testa.

Observei a ir para a cozinha para buscar o meu pequeno almoço, ela crescerá tão rapido no entanto em termos de mentalidade ela podia ter 30.... matava-me deixa-la principalmente com os perigos que podia haver caso haja uma indicação do que somos.

Olhei para a minha mãe, ela estava com um vestido branco o que fazia contraste com o seu cabelo vermelho, ela estava com os olhos em lágrimas.

-Promete-me que iras ficar bem com Sally.

Sally era uma sereia como eu, ela tinha 21 anos e era dotado no seu dom de força e conseguia ter uma capacidade de fugir de caçadores incrível era a nossa guardiã depois de Mary... Engoli em seco tentando não pensar no assunto.

- Eu vou ficar bem mãe e vou estar perto do mar se algo acontecer vou para ilha oki?

Ela franziu os lábios, e entregou-me uma pasta azul da universidade.

- As tuas aulas, o mapa do campus e os contactos de emergência estão ai e... hum... tem aí um cartão de credito que só poderás usar em emergência oki?

- Obrigada - disse abraçando-a.

Ana apareceu com um saco térmico e entregou-mo, eu dei-lhe um beijo suave nos cabelos dourados e despedi-me de ambas tentando conter o choro ou até mesmo o pânico.
Sai de casa e entrei no meu mini azul onde já tinha todo o meu material e malas para levar para a universidade.

Liguei o carro e entrei na estrada estava tão preparada para está nova vida onde eu não tinha que estar
sempre a dar satisfações a minha mãe.

Eu não estava a espera de ser feliz apenas esperava ser o minimamente normal.

Sem comentários:

Enviar um comentário